Crase: casos obrigatórios, proibidos e facultativos

Crase: casos obrigatórios, proibidos e facultativos

Definição:


Crase é um fenômeno fonético que representa a construção da preposição “A” com o artigo “A”.


Casos obrigatórios:


a) Diante de palavra feminina, expressa ou oculta, que não repele artigo.


Fui à praia.


b) Diante do artigo “a” e dos demonstrativos “aquele”, “aquela”, “aquilo”.


Referiu-se àquele que estava ao seu lado.


c) Diante de pronome possessivo em referência a um substantivo oculto.


Dirigiu-se àquela casa, e não à sua.


d) Diante de locuções adverbiais constituídas de substantivo feminino plural.


O documento foi elaborado às claras.


Casos proibidos:


a) Diante de palavras de sentido indefinido.


Falou a qualquer pessoa.


b) Diante dos pronomes relativos “que”, “quem”, “cuja”.


Ali vai a criança a quem disseste a notícia.


c) Diante de verbo.


Ficou a ver navios.


d) Diante de palavras masculinas.


Falou-me a respeito daquele assunto.


e) Diante de pronomes pessoais e expressões de tratamento.


Não disseram a ele e a ela toda a verdade.


f) Entre palavras repetidas.


Fiquei frente a frente com o meu rival.


g) Diante da palavra “casa” quando desacompanhada de adjunto.


Irei a casa logo mais.


Casos facultativos:


a) Antes de pronome possessivo com substantivo feminino expresso.


Dirigiu-se à (a) minha casa.


b) Antes de nome próprio feminino.


As alusões foram feitas à (a) Ângela.


c) Antes da palavra “casa” quando acompanhada de expressão que denota qualquer qualificação.


Irei à (a) casa de meus pais.