Nem sequer

Nem sequer

Segundo a gramática normativa, nem sequer é a forma correta para indicar negação, dado que o advérbio sequer necessita de uma palavra que lhe confira o sentido negativo, como nem, não, nunca, sem…



Contudo, a utilização isolada do advérbio sequer indicando uma negação é frequente entre os falantes, encontrando-se esse sentido negativo já dicionarizado. Assim, embora nem sequer seja a forma preferencial e mais gramaticalmente correta de expressar uma negação, o uso isolado do advérbio sequer é aceitável, não estando errado.


Exemplos:

Estava tão chateado que nem sequer falou com ela.
Estava tão chateado que sequer falou com ela.

Nem sequer quero saber o que aconteceu. Estou cansada de discussões.
Sequer quero saber o que aconteceu. Estou cansada de discussões.

Devido à doença, minha mãe nem sequer se lembrava de mim.
Devido à doença, minha mãe sequer se lembrava de mim.

O advérbio sequer tem, principalmente, significado de ao menos ou pelo menos. Segundo diversos dicionários, sequer significa também nem mesmo e nem ao menos, sendo assim sinônimo de nem sequer.


Atenção!

É importante compreendermos que a língua portuguesa se encontra em constante alteração, evolução e atualização. Muitas palavras são incorporadas no idioma pelo uso, sendo defendido atualmente que o uso faz a regra e não o contrário.


Fique sabendo mais!

Existe também a construção se quer (conjunção se + verbo querer), frequentemente confundida com o advérbio sequer.


Exemplos:

Se quer ser minha namorada, tem que ser fiel.
Se quer saber a verdade, pergunte a minha mãe.