Para Sempre, Drummond

mae

Para Sempre

Por que Deus permite

que as m√£es v√£o-se embora?

M√£e n√£o tem limite,

é tempo sem hora,

luz que n√£o apaga

quando sopra o vento

e chuva desaba,

veludo escondido

na pele enrugada,

√°gua pura, ar puro,

puro pensamento.

Morrer acontece

com o que é breve e passa

sem deixar vestígio.

Mãe, na sua graça,

é eternidade.

Por que Deus se lembra

‚ÄĒ mist√©rio profundo ‚ÄĒ

de tir√°-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo,

baixava uma lei:

M√£e n√£o morre nunca,

m√£e ficar√° sempre

junto de seu filho

e ele, velho embora,

ser√° pequenino

feito gr√£o de milho.


Carlos Drummond de Andrade, in ‘Li√ß√£o de Coisas’

Feliz Dia das Mães!