Qual a transitividade do verbo implicar?

Qual a transitividade do verbo implicar?

Quando é usado no sentido de trazer como consequência, acarretar, o verbo implicar, originalmente, é Transitivo Direto. Ou seja, é um verbo que não possui sentido completo. Sendo assim, precisa de um complemento (objeto) sem preposição, chamado de Objeto Direto. Vamos a um exemplo:

Sua decis√£o implicou o cancelamento dos projetos“.
Veja: não temos preposição!

Mas, por analogia de tr√™s verbos de significa√ß√£o semelhante (resultar em, redundar em, importar em), pelo menos no Brasil, o verbo “implicar” passou a ser usado com a preposi√ß√£o em, ocupando a posi√ß√£o de Transitivo Indireto. Isto √©, um verbo que possui um complemento que se liga a ele com preposi√ß√£o ‚Äď em outras palavras,¬†que se liga a ele indiretamente. Como exemplo, a mesma frase:

Sua decis√£o implicou no cancelamento dos projetos“.
Note: h√° preposi√ß√£o -> ‚Äúno‚ÄĚ (= em + o).

Essa constru√ß√£o de implicar (com a preposi√ß√£o em) ainda n√£o √© registrada por alguns dos nossos dicion√°rios. Mas j√° √© citada por Celso Luft, em seu “Dicion√°rio Pr√°tico de Reg√™ncia Verbal”. Para ele, o uso j√° est√° mais do que consagrado.

Compete dizer que, nos registros cl√°ssicos, prevalece mesmo a reg√™ncia direta, mas, nos registros brasileiros modernos, √© prov√°vel que haja um empate entre as duas constru√ß√Ķes.

Material extraído de: 
  (1) Pasquale Cipro Neto, em Inculta & Bela, coluna da Folha de S√£o Paulo;
  (2) Brasil Escola, em sua coluna de Gram√°tica.