Quando usar os pronomes lhe e te?

Quando usar os pronomes lhe e te?

LHE é um pronome pessoal do caso oblíquo. Na sentença, exerce ou função de complemento verbal (objeto indireto) ou função de complemento nominal ou função de adjunto adnominal. TE é pronome pessoal da segunda pessoal do singular (tu) do caso oblíquo e exerce função de objeto direto.


Veja exemplos e a explicação completa!



Uma seguidora enviou-me por mensagem esta dĂșvida e achei por bem criar um post para esclarecĂȘ-la, uma vez que Ă© comum o emprego incorreto de ambos os pronomes. Vamos lĂĄ, entĂŁo?


LHE

É um pronome pessoal do caso oblĂ­quo. Na sentença, exerce ou função de complemento verbal (objeto indireto) ou função de complemento nominal ou função de adjunto adnominal. Em outros casos, sua aplicação Ă© indevida.

Substituindo o objeto indireto:

Não devo explicaçÔes a ele.
Não lhe devo explicaçÔes.

Observe a transitividade de dever: alguĂ©m deve alguma coisa a alguĂ©m. É verbo transitivo indireto. Lhe substitui o complemento verbal; exerce função de objeto indireto.

Deu uma nova bicicleta para o filho.
Deu-lhe uma nova bicicleta.

Observe a transitividade de dar: alguĂ©m dĂĄ alguma cosa a(para) alguĂ©m. É verbo transitivo indireto. Lhe substitui o complemento verbal; exerce função de objeto indireto.

Nesses casos, lhe estĂĄ sendo empregado corretamente. Repare, agora, nesta frase:

Minha filha ainda nĂŁo voltou da casa da amiga. Vou buscar-lhe.

Emprego incorreto. Alguém busca alguma coisa. Buscar é verbo transitivo direto. Seu complemento é objeto direto. Lhe, portanto, não deve ser empregado.



Substituindo o adjunto adnominal:

  1. Achou o rosto do rapaz muito feito.
    Achou-lhe o rosto muito feio.
  2. A mĂŁe cortou os cabelos da filha.
    A mĂŁe cortou-lhe os cabelos.

Substituindo o complemento nominal:

Não achei graça nenhuma nessa jovem.
Não lhe achei graça nenhuma.


Te

É pronome pessoal da segunda pessoal do singular (tu) do caso oblĂ­quo e exerce função de objeto direto. Lembrando que o pronome reto tu – assim como outros pronomes de caso reto – nĂŁo pode ser usado como complemento. Esta Ă© a função de te. Note:

Tu irås à festa? Quero abraçar-te!
(quero abraçar tu).

Observe a transitividade do verbo abraçar: abraçamos alguĂ©m, e nĂŁo a alguĂ©m. É verbo transitivo direto. Seu complemento, obviamente, tem de ser um elemento que funcione como objeto direto.



Mais informaçÔes

O pronome pessoal da segunda pessoal do singular (tu) do caso oblíquo que exerce função de objeto indireto é ti. Acompanhe:

Fiques calma. Enviarei para ti a carta.

Observe a regĂȘncia do verbo enviar: enviamos alguma coisa a alguĂ©m. É verbo transitivo indireto. Exige a preposição a ou para. Ti substitui o complemento verbal; exerce função de objeto indireto.


Fonte: Dicas DiĂĄrias de PortuguĂȘs www.facebook.com/DicasDiariasdePortugues