Verbo “ser” concorda com termo no plural

Verbo “ser” concorda com termo no plural

Dada a seguinte frase:


“O princ√≠pio ativo do medicamento s√£o subst√Ęncias vasoconstritoras.”



Ainda que possa parecer o contrário, a frase acima está correta. Acostumados que estamos a ver o verbo concordar com o sujeito da oração, hesitamos diante de uma construção como essa.


Ocorre, por√©m, que o verbo ser¬†obedece a princ√≠pios pr√≥prios de concord√Ęncia. √Č caracter√≠stica sua, por exemplo, concordar com os pronomes pessoais do caso reto, estejam eles na posi√ß√£o de sujeito da ora√ß√£o ou na de predicativo do sujeito (“O Estado sou eu“, “Eu sou a lei“).


Outro desses princípios é o que rege a construção que encima este texto. Entre um elemento no plural e outro no singular, o verbo ser concordará com aquele que estiver no plural, ressalvados os casos em que o elemento singular se referir a uma pessoa ou a um pronome pessoal do caso reto.


√Č por isso que n√£o h√° desacerto nenhum em dizer que: “o princ√≠pio ativo de um medicamento s√£o subst√Ęncias vasoconstritoras”.